DGERT alerta Formadores

alertaformadores
A ficha curricular da DGERT “não pode ser exigida por entidades formadoras em processos de seleção de candidatos a formadores”. Esta exigência aparece com regularidade diária em anúncios divulgados por algumas entidades formadoras, nos últimos anos, e tem sido objeto de diversos pedidos de esclarecimento à entidade certificadora.

Num esclarecimento oficial divulgado na passada quinta-feira, dia 21 de julho, a DGERT alerta os operadores do mercado da formação para o uso indevido do modelo de ficha curricular da própria DGERT. Segundo o comunicado, a referida ficha curricular apenas pode ser usada para apresentação de pedidos ao Sistema de Certificação de entidades formadoras e para apresentar o currículo dos formadores que já pertençam à equipa técnico-pedagógica da entidade.

Assim, as entidades formadoras não podem usar a ficha curricular da DGERT em processos de selecção de formadores. Por duas razões, diz a DGERT. Primeira, porque um processo de seleção de formadores não é um pedido de certificação. Segunda, porque no decurso de um processo de seleção os formadores ainda não integraram a equipa técnico-pedagógica da entidade formadora e podem não a integrar no futuro.

A terminar, a DGERT informa que esta utilização indevida “configura uma prática irregular por parte das entidades”, prática essa que será tida em conta nas avaliações periódicas que o sistema de certificação faz das entidades formadoras. A prova desta prática irregular, quando ela ocorrer, pode ser feita pelo conteúdo dos anúncios divulgados publicamente pelas entidades formadoras.

Leia o comunicado na íntegra aqui.




blog comments powered by Disqus